Instituto Brasileiro de Museus

Museu das Missões

Restauração e Conservação

Seguindo a missão institucional e o planejamento estratégico do Museu das Missões, o Núcleo de restauração da unidade mostra-se fundamental na conservação do acervo museológico institucional.

Desde o ano de 1988, o museu conta com um restaurador para realizar as atividades de manutenção do acervo, abrangendo um conjunto de técnicas e procedimentos que visam conservar as esculturas diante da ação do tempo.

Devido à passagem de um tornado na cidade de São Miguel das Missões, RS, acontecimento desastroso ocorrido em abril de 2016, o museu foi atingido e peças do acervo foram danificadas. Com isso, os trabalhos do Núcleo de Conservação e Restauro do Museu das Missões foram intensificados, tendo em vista as atividades de higienização, conservação e reconstituição do acervo afetado.

Foto: Inaê Sfalcin
Detalhe da face do Cristo Crucificado, contrastando duas metades: uma delas passou por ação de limpeza e a outra, não. Com o passar do tempo, passivamente o pó vai sedimentando sobre a policromia das esculturas e dando-lhes uma coloração marrom alaranjada, a qual, pode ser removida através de técnicas e produtos específicos. Foto: Inaê Sfalcin
Aplicação de imunizante (inseticida) em cavidades da escultura para controle de insetos xilófagos. Os cupins configuram um grande problema para acervo em madeira, o que deve ser periodicamente manejado para evitar infestações. Foto: Inaê Sfalcin
Foto: Inaê Sfalcin
Higienização de fragmentos em madeira não policromada. Evitar o acúmulo de pó e sujidade sobre as peças é atividade crucial na conservação das mesmas.
Foto: Inaê Sfalcin
Restauração do Cristo Crucificado: na imagem vê-se a remoção de cera virgem de abelha da região da perna da escultura. Utilizava-se a cera, no passado, para preenchimento de cavidades. Hoje em dia, ela é retirada e substituída por outro material mais adequado ao tipo de madeira, espessura do bloco, profundidade e local da cavidade. Foto: Inaê Sfalcin
Foto: Inaê Sfalcin